sábado, 1 de agosto de 2009

IF THOU MUST LOVE ME, LET IT BE FOR NOUGHT... / AMA-ME POR AMOR DO AMOR SOMENTE, de Elizabeth Barrett Browning







If thou must love me, let it be for nought  
Except for love’s sake only. Do not say,  
“I love her for her smile—her look—her way  
Of speaking gently,—for a trick of thought  

That falls in well with mine, and certes brought
A sense of pleasant ease on such a day”—  
For these things in themselves, Belovèd, may  
Be changed, or change for thee—and love, so wrought,  

May be unwrought so. Neither love me for  
Thine own dear pity’s wiping my cheeks dry:
A creature might forget to weep, who bore  

Thy comfort long, and lose thy love thereby!  
But love me for love’s sake, that evermore  
Thou mayst love on, through love’s eternity.


Tradução de Manuel Bandeira:


Ama-me por amor do amor somente.
Não digas: "Amo-a pelo seu olhar,
O seu sorriso, o modo de falar
Honesto e brando. Amo-a porque se sente

Minhalma em comunhão constantemente
Com a sua". Porque pode mudar
Isso tudo, em si mesmo, ao perpassar
Do tempo, ou para ti unicamente.

Nem me ames pelo pranto que a bondade
De tuas mãos enxuga, pois se em mim
Secar, por teu conforto, esta vontade

De chorar, teu amor pode ter fim!
Ama-me por amor do amor, e assim
Me hás de querer por toda a eternidade.





(Ilustração: Gabriel Rossetti)




Um comentário:

  1. Esse poema me foi apresentado por uma pessoa de quem gosto muito... Minhas palavras pra descrevê-lo não são suficientes... Este singelo poema talvez dê uma ideia do quanto ele significa. Ao menos para mim...
    Obrigada pelo espaço. E pela atenção.

    Bjs, fiquem com Deus!!

    ResponderExcluir