quinta-feira, 10 de setembro de 2009

ABANDONADA, de Márcia Alencar









Minha paixão é fêmea
traz no corpo a essência
e a umidade das partes
de um lago que transborda
e a sensualidade se alastra
na porta da sua casa
mas você nunca me abre

sou mulher cheia de arrepios
um corpo gritante
e um bicho no cio
mordo, dilacero e injeto
mostro que você é o meu delírio
mas o seu mar nunca me afoga

então, sinto febre
corro riscos
mostro o eco sem o grito

corro pra cama
e me deito de mansinho
e me toco com a alma de Brahms


(Escrevendo na Pele, blog)


(Ilustração: Julia Cuddlewell - the rose)

Um comentário:

  1. Ah, querido, que delícia ver um texto meu em seu espaço. Quanta honra desfrutar desse cantinho com um mestre de mancheia, coisa linda! Amei e deixo mil beijos e abraços

    ResponderExcluir