sábado, 29 de abril de 2017

WHAT THEN? / E DAÍ?, de W.B. Yeats







His chosen comrades thougth at school

He must grow a famous man;

He thought the same and lived by rule,

All his twenties crammed with toil;

'What then?', sang Plato's ghost, ''what then?'

Everything he wrote was read,

After certain years he won

Sufficient money for his need,

Friends that have been friends indeed;

'What then?', sang Plato's ghost, 'What then?'

All his happier dreams came true -

A small old house, wife, daughter, son,

Grounds where plum and cabbage grew,

Poets and Wits about him drew;

'What then?' sang Plato's ghost, 'what then?'

'The work is done,' grown old he thought,

'According to my boyish plan;

Let the fools rage, I swerved in nought,

Something to perfection brought;'

But louder sang that ghost 'What then?'



Tradução de Celso Japiassu:



Seus melhores amigos na escola

Achavam que ele iria ser famoso;

Ele também achava e assim se preparou,

Dedicou seus vinte anos ao labor;

"E daí?" cantou o fantasma de Platão, "e daí?"

Tudo o que escreveu, tudo foi lido,

Depois de algum tempo tinha ganho

Dinheiro para o que pudesse precisar,

Amigos que foram na verdade amigos;

"E daí?", cantou o fantasma de Platão,"e daí?"

Realizou seus mais felizes sonhos:

Uma antiga casinha, esposa e um casal de filhos,

Canteiros de ameixeira e couve,

Sábios e poetas em sua volta;

"E daí?", cantou o fantasma de Platão, "e daí?"

"Tudo está feito", disse ele quando velho,

“De acordo com meus sonhos de menino”;

Deixa os tolos com seu ódio, não me desviei,

Alguma coisa eu trouxe à perfeição";

"E daí?" - cantou mais alto a sombra de Platão.





(Ilustração: Max Beckmann - Maskenball)



Um comentário: