quarta-feira, 5 de abril de 2017

JAZZONIA, de Langston Hughes







Oh, silver tree!

Oh, shining rivers of the soul!



In a Harlem cabaret

Six long-headed jazzers play.

A dancing girl whose eyes are bold

Lifts high a dress of silken gold.



Oh, singing tree!

Oh, shining rivers of the soul!



Were Eve's eyes

In the first garden

Just a bit too bold?

Was Cleopatra gorgeous

In a gown of gold?



Oh, shining tree!

Oh, silver rivers of the soul!



In a whirling cabaret

Six long-headed jazzers play



Tradução de Guilherme de Almeida:



Oh, árvore de prata!

Oh, rios brilhantes da alma!



Num cabaré do Harlem

Tocam seis “jazzers” de cabeças alongadas.

Uma dançarina de olhos sem vergonha

Ergue demais o vestido de seda dourada.



Oh, árvore cantante!

Oh, rios brilhantes da alma!



Seriam os olhos de Eva

No primeiro jardim

Um pouco mais sem-vergonha?

Cleópatra seria esplêndida

Num vestido de ouro, assim?



Oh, árvore brilhante!

Oh, rios de prata da alma!



Num cabaré giratório

Tocam seis “jazzers” de cabeças alongadas.



Tradução de Hélio Pólvora:


Ó, árvore prateada!

Ó, rios brilhantes da alma!





Num cabaré do Harlem

Tocam seis jazzistas dolicocéfalos.

Uma dançarina de olhos atrevidos

Suspende a saia de ouro sedoso.




Ó, árvore cantante!

Ó, rios brilhantes da alma!



Os olhos de Eva

No primeiro jardim

Eram assim atrevidos?

Cleópatra era suntuosa

numa bata de ouro?



Ó, árvore brilhante!

Ó, rios prateados da alma!



Num cabaré rodopiante

Tocam seis jazzistas dolicocéfalos.



Tradução de Álvaro Silveira Faleiros e Pedro Tomé:


Oh, árvore de prata!

Oh, rios brilhantes da alma!



Num bar do Harlem, seis jazzistas

De longas faces fazem um som.

Uma moça de olhos que ousam

Dança e alça a saia de cetim de ouro.



Oh, árvore que canta!

Oh, rios brilhantes da alma!



Os olhos de Eva

No primeiro jardim

Tinham esse jeito que ousa?

Cleópatra era deslumbrante

Num vestido de ouro?



Oh, árvore brilhante!

Oh, rios de prata da alma!



Num bar que gira, seis jazzistas

De longas faces fazem um som.





(Ilustração: 
Archibald John Motley, Junior)




Nenhum comentário:

Postar um comentário