quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

MOMENTO NUM CAFÉ, de Manuel Bandeira











Quando o enterro passou
Os homens que se achavam no café
Tiraram o chapéu maquinalmente
Saudavam o morto distraídos
Estavam todos voltados para a vida
Absortos na vida
Confiantes na vida.


Um no entanto se descobriu num gesto largo e demorado
Olhando o esquife longamente
Este sabia que a vida é uma agitação feroz e sem finalidade
Que a vida é traição
E saudava a matéria que passava
Liberta para sempre da alma extinta.



(Ilustração: David Bailly - vanitas)



Nenhum comentário:

Postar um comentário