terça-feira, 23 de maio de 2017

A MAÇÃ, O PUNHO, O ÚTERO, de Bárbara Lia









Pêndulo invisível em um mundo palco

Não sou a poeta pop

Meu útero é do tamanho da primeira maçã

E confundo as lendas

E esmurro o primeiro homem (não o seduzo)

E esmurro o segundo e o terceiro

A serpente enlouquece

Diz alguma coisa como

“A mulher nasceu para conquistar”

Conquisto apenas os passarinhos

Eles assediam-me nas manhãs

Um deles prometeu ensinar-me

Os benefícios de ser fêmea

E a receita do pecado válido

O pecado abençoado

O pássaro diz…

Um punho é um punho

Um útero é um útero

Uma maçã é uma maçã



(creio mais nos passarinhos que nos poetas)





(Onde andará Esmeralda Green?)




(Ilustração: Saturno Buttò)





Nenhum comentário:

Postar um comentário