domingo, 1 de janeiro de 2017

PONTO DE MULHER, de Elza Beatriz










De vastas saias

em curtas raias

virtude tesa

na asa presa

mulher me sovaram

em ponto de pasta.

De finas rendas

felinas prendas

truques e trinques

trancas e tranças

mulher me cevaram

em ponto de calda.

De pele de pêssego

boca de fruta

sabor de maçã

carne de romã

alma mais vã

mulher me cegaram

em ponto de bala.

De laços de fita

espinhos sem rosa

palavras sem prosa

agulha sem linha

guerreira sem rinha

mulher me segaram

em ponto de fio

esfolando lugar

num espaço vazio.







(Ilustração: Patricia Watwood - gemini)

Nenhum comentário:

Postar um comentário