segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

LE MIROIR / O ESPELHO, de Edmond Jabès








Au dortoir des ressemblances

les feuilles ont leurs pensées

les pierres savent le bruit

doré que font les abeilles

Le jour est intimement lié

à leur désespoir à leur oreille

Pour l’air l’eau du temps

la nature danse

L’herbe dans la terre a

un pied nu qui avance

Mais tu n’entendras jamais

un murmure de fatigue.



Tradução de Eclair Antonio Almeida Filho:



No dormitório das semelhanças

as folhas têm seus pensamentos

as pedras sabem o rumor

dourado que fazem as abelhas

O dia está intimamente ligado

ao seus desesperos às suas orelhas

Para o ar a água do tempo

a natureza dança

A relva na terra tem

um pé nu que avança

Mas tu não ouvirás jamais

um murmúrio de fadiga.





(De l’écorce du monde – 1954)




(Ilustração: Paulo Martinez Fernandez)



Nenhum comentário:

Postar um comentário