sábado, 1 de março de 2014

UMA TARDE, de Helga Holtz









Banho os pés em águas derramadas 

na tarde em que você chorou em mim. 

De todos os seus líquidos diários 

só me faltava sentir suas lágrimas... 

Sobrevivo agora de vento e escuro, 

de muros, sonos, torpores, das tinas 

com seu choro, suor, tanto esporro. 

Largo as estrelas, recordo resoluta 

os vapores sentimentais liberados 

naquele exato momento do adultério:

você partindo, o Morrer chegando...



(Ilustração: Damian Klaczkiewicz)





Nenhum comentário:

Postar um comentário