sexta-feira, 14 de maio de 2010

OUR BIAS/NOSSO PENDOR, de W.H. Auden







The hour-glass whispers to the lion's roar,

The clock-towers tell the gardens day and night

How many errors Time has patience for,

How wrong they are in being always right.




Yet Time, however loud its chimes or deep.

However fast its falling torrent flows,

Has never put one lion off his leap

Nor shaken the assurance of a rose.



For they, it seems, care only for success:

While we choose words according to their sound

And judge a problem by its awkwardness;




And Time with us was always popular.

When have we not preferred some going round

To going straight to where we are?


Tradução de José Paulo Paes:






A ampulheta sussurra ao rugido do leão.

Diz o relógio da torre ao jardim ali perto,

Que, sendo o Tempo paciente com os erros, quão

Errados eles estão de estarem sempre certos.


O Tempo, no entanto, quer badale grave ou alto,

Por veloz que se despenque em torrente raivosa,

Nunca de leão algum logrou deter o salto

Nem abalar jamais a firmeza de uma rosa.


Para ambos, só o sucesso importa, pelo jeito:

Enquanto escolhemos as palavras pelo som

E julgamos um problema por seu desajeito.


O Tempo sempre nos traz divertimento, e bom:

Quem não prefere dar umas voltas, fazer hora,

Em vez de vir direto para onde está agora?

(Poemas)


(Ilustração: Daniela Isache - clepsidra)






Nenhum comentário:

Postar um comentário