domingo, 18 de abril de 2010

POR QUE ENVELHECEMOS, de Roberto Goldkorn






À medida em que certas partes do mundo se civilizam de verdade, a expectativa de vida de seus afortunados moradores aumenta. Hoje temos muitos velhos vivendo melhor do que seus avós ou até mesmo do que seus pais.

Olhado como "mercado" é um filão apetitoso. Se eu estivesse iniciando a minha vida, escolheria a geriatria ou a gerontologia como carreira. Juntando a esse "mercado" à crença hedonista de que a juventude é única idade que presta, (o que leva pessoas de trinta anos a procurarem "preventivamente" o geriatra, a cirurgia plástica, a cosmetologia etc), temos aí, um verdadeiro banquete, para os profissionais da eterna juventude.

Assim começam a brotar especialistas em métodos antienvelhecimento ou como eles mesmos se definem, em deter o relógio biológico. Apesar disso, não há convergência de opiniões e de teorias sobre por que envelhecemos.

Alguns acham que envelhecemos porque estamos geneticamente programados para tal. Outros acham que não - o envelhecimento é um acidente da evolução biológica e pode ser evitado, ou pelo menos ter os efeitos relacionados a ele evitados.

No momento, existem cerca de doze teorias de envelhecimento consideradas sérias pela comunidade científica e cada uma tem seus fãs, que se debruçam sobre os dados estudando-os com afinco afim de comprová-los.

Como não sou cientista, pelo menos não dessa ciência oficial, não tenho compromisso com essa ou aquela teoria, mas não posso negar que o assunto me fascina. Sinto que essa fascinação foi aumentando gradualmente nos últimos vinte anos, e se transformou em (pre)ocupação depois que cruzei a barreira dos cinqüenta, não sei por que, talvez seja uma simples coincidência.

Para falar a verdade, apesar do tom irônico das linhas acima, também acho a velhice um saco, principalmente quando ela é conceitual, ou seja quando temos um sujeito de trinta anos "velho"!
Acho que ser velho na nossa sociedade é terrível, porque assim como em certas sociedades primitivas os velhos, que não podiam mais guerrear, nem procriar, eram levados para os confins da floresta para morrerem longe da tribo, nós também abandonamos os nossos velhos.

Mas na maioria dos casos eles se abandonaram primeiro.Mas vamos voltar a pergunta lá de cima? Por que envelhecemos?
Não, não vale recorrer as teorias dos cientistas, até porque elas não foram comprovadas (cientista adora comprovar coisas). Então vamos arriscar uns palpites:

1º) Envelhecemos porque há uma "cultura" da velhice, e à medida em que vamos apagando velinhas, vamos "vestindo" essa cultura. Quando as minhas filhas dizem para a mãe: "Você não vai ter coragem de comprar essa roupa de jovem, vai? Vai ficar ridícula!" Mesmo tendo uma mãe jovial e inteirona, estão sendo agentes dessa cultura...e quando a minha mulher se curva diante desse argumento, está sendo paciente dessa cultura e ...envelhece sociopsiquicamente.

2º) Envelhecemos por que não conseguimos estabelecer rotinas prazerosas, e a cada instante vemos desmoronar diante de nossos olhos os símbolos da estabilidade. Quando estabelecemos rotinas elas são aprisionantes, são altamente defensivas, são labirintos que criamos para nos proteger não se sabe bem de quê.

3º) Envelhecemos, porque não conseguimos romper com as rotinas, vamos perdendo a coragem (se é que um dia tivemos, mas o jovem esconde-se atrás da cultura do jovem e engana bem) de peitar a rotina, e criar outra. Romper com os roteiros fixos, é um dos métodos mais antienvelhecimento que conheço. Um dia, sem aviso, resolvi jogar para o alto todos os compromissos que tinha, e fui para a praia no meio da semana. Enquanto tomava água de coco, sentia que remoçava 10 anos.

4º) Envelhecemos porque somos egoístas e burros, e não pensamos nos outros eus, que irão herdar o corpo que agora estamos usando.

5º) Envelhecemos porque não nos esforçamos para aprender. Parece que ficamos tão traumatizados com os anos passados nos bancos escolares, que negamos a busca continuada de conhecimento, e mais que isso, riscamos do nosso vocabulário, a palavra sabedoria. Velho é ignorante, velho é chucro, é demais. É a mesma coisa que dizer criança sábia, bebê com grande conhecimento.

6º) Envelhecemos porque (lembram daquela cultura da velhice?) acabamos sendo convencidos que passamos da idade de amar, que amar dá muito trabalho, é coisa de jovem, arroubos da juventude etc, etc...

7º) Envelhecemos porque não conseguimos largar o nosso passado na primeira esquina, e assim, ficamos impedidos de olhar para o futuro. E aí ficamos repetindo: " aconteceu comigo em 1927 quando eu servia no tiro de guerra..."

8º) Envelhecemos porque ajudamos a construir uma sociedade belicista e hedonista e quando não podemos mais guerrear, ou desfilar corpos perfeitos, as regras que criamos e alimentamos, nos mandam para a cristaleira mofada e cheia de teias de aranha.

9º) Envelhecemos por causa do medo. Isso mesmo, nos refugiamos na velhice como se isso pudesse nos preservar de perigos, e sobressaltos da vida, mas é uma bobagem. Eu mesmo rezei tanto para chegarem os cabelos brancos... eu dizia: "só vão me levar a sério quando tiver cabelos brancos", hoje tenho e todos os dias os ameaço com um xampu tonalizante.

10º) Envelhecemos porque desistimos, arriamos os braços depois do enterro de um amigo, ou diante de um filme antigo cujos atores conhecemos na juventude, e dizemos: "agora estão todos mortos." Não falamos mas pensamos "logo, logo vou eu." E assim adiamos o viver, e envelhecemos mesmo.

Um famoso empresário da noite falou numa entrevista, "morrer é uma grande sacanagem quando se vive tão bem." Esse medo, esse fantasma também faz envelhecer, também carcome a nossa vitalidade, e nos rouba o tesão. Um dia e esse dia não está longe, vamos viver bem até os 150 anos ou mais, vamos poder fazer sexo aos 110, passear no parque de bike sem artrite, aos 115 mas ... se não mudarmos por dentro vamos continuar irreversivelmente envelhecendo. E vamos envelhecer sem savoir faire, sem sabedoria, e não é preciso ser nenhum Shakespeare para saber, que isso sim é o verdadeiro desastre.

(Ilustração: Velázquez – São Jerônimo)

Um comentário:

  1. Maravilha de texto!
    Envelhecer é péssimo, mas temos que buscar bem no fundo da nossa vontade a força de viver, principalmente por nós.

    ResponderExcluir