domingo, 11 de agosto de 2013

ANTI-DELAÇÃO, de Vasco Cabral







A noite veio,
disfarçada em dia,
e ofereceu-me a luz,
diáfana como a Aurora.

Mas eu disse que não.

Depois veio a serpente
disfarçada em virgem
e ofereceu-me os seios e os braços nus.

Mas eu disse que não.

Por fim veio Pilatos,
disfarçado em Cristo,
e numa voz humana e doce
disse: "se quiseres eu dou-te o paraíso
mas conta a tua historia..."

Mas eu disse que não,
que não, não, não!

E continuei um Homem!
E eles continuaram 
os abutres do medo e do silêncio.


(Vidas Lusófonas - site; poeta de Guiné-Bissau)



(Ilustração: Ron English - apples and oranges)





Um comentário:

  1. A poesia de Vasco Cabral, de temática política em essência, nos remete à realidade brasileira atual, quando somos bombardeados por revelações incontáveis de abuso econômico e social. O anticoloanismo presente em seus textos nos desafiam a superar o colonialismo moderno, porque atual, praticado pelas elites dominantes,que roubaram recentemente a voz do povo brasileiro, tomando o poder a todo custo.

    ResponderExcluir