quarta-feira, 11 de abril de 2012

DOIS POEMAS DA PRAIA DA AREIA BRANCA, de Sidónio Muralha









1

Na praia da Areia Branca
os búzios não falam só de mar:
- falam das pragas, dos clamores,
da fome dos pescadores
e dos lenços tristes a acenar.

Búzios da Praia da Areia Branca:
- um dia,
haveis de falar
unicamente do mar.


2

No fundo do mar,
há barcos, tesoiros,
segredos por desvendar
e marinheiros que foram morenos ou loiros

Ali, não são morenos nem são loiros
- são formas breves, a descansar,
sem ambições para os tesoiros
e de cabelos verdes dos limos do mar.

Serenos, serenos, repousam os mortos,

- enquanto o mar
ensina o mundo a falar
a mesma língua em todos os pontos.



(Passagem de nível)


(Ilustração: Riccardo Tommasi Ferroni - natura morta


Um comentário: