domingo, 14 de novembro de 2010

PAISAGEM CINZENTA PARA DENTRO E PARA FORA DOS OLHOS, de Kátia Bento







A velha, olhos velhos, mãos nodosas,
lavava a túnica suja de terra
do sobrinho sargento que veio de Ouro Preto.
Fria como os olhos dela, a tarde
foi virando noite, esfriando mais.
A cinza dos cigarros fumados aumentou.
A velha
lamentava a vida, a carestia, a solidão
e lavava a túnica suja de terra
do sobrinho sargento que veio de Ouro Preto.


(Ilustração: foto de José Gama – lavadeira)



Nenhum comentário:

Postar um comentário