sábado, 9 de outubro de 2010

SE EU DANÇASSE AGORA, de Rita Brant






Se eu dançasse agora
Colocaria meus pés a meia altura do chão
Balançaria meus braços numa demonstração louca de quem imita os pássaros
Giraria em círculos como a biruta que saboreia os ventos
Torceria meu tronco como se ondulasse em mim um vivo arame flexível
Juntaria minhas mãos em prece e, sem a menor pressa, as levaria a apontar mil e uma estrelas
Mostraria meus seios, sem receio, para revelar meu desejo de refletir-me em luas
Viraria a cabeça para perceber de quantos ângulos se compõe o mosaico do mundo
Agitaria minhas ancas num variado frenesi alimentado por moléculas alegres
Lançar-me-ia inteira na beira de minha própria eira que se dobra neste agora


(Ilustração: Martin Eder – me girl)


Nenhum comentário:

Postar um comentário