domingo, 20 de outubro de 2013

DEFINIÇÃO DE AVÔ, de Ana Paula









Um avô é um homem que não tem filhos, por isso gosta dos filhos dos outros. Os avôs não têm nada para fazer, a não ser estarem ali. Quando nos levam a passear, andam devagar e não pisam nas flores bonitas nem nas lagartas. Nunca dizem:  Some daqui!, Vai dormir!, Agora não!, Vai pro quarto pensar! Normalmente são gordos, mas mesmo assim conseguem abotoar os nossos sapatos. Sabem sempre o que a gente quer. Só eles sabem como ninguém a comida que a gente quer comer. Os avôs usam óculos e, às vezes, até conseguem tirar os dentes. Os avôs não precisam ir ao cabeleireiro, pois são carecas ou estão sempre com os cabelos arrumadinhos. Quando nos contam histórias nunca pulam partes e não se importam de contar a mesma história várias vezes. Os avôs são as únicas pessoas grandes que sempre têm tempo para nós. Não são tão fracos como dizem, apesar de morrerem mais vezes do que nós. Todas as pessoas devem fazer o possível para ter um avô, ainda mais se não tiverem televisão.




(Ana Paula, garota de 8 anos; redação publicada no Jornal do Cartaxo, de  Florianópolis - SC)



Obs.: Na verdade, "Ana Paula" não existe; esse texto é adaptado de redações de crianças inglesas colocadas no site abaixo e traduzido para o português sem nenhuma indicação. Mantenho-o no blog, embora com ressalvas, por motivos sentimentais.


(Ilustração: autor não identificado)



Nenhum comentário:

Postar um comentário