sábado, 20 de outubro de 2012

A TERCEIRA MARGEM (Tributo a Guimarães Rosa), de Jô Drumond








Rio abaixo, rio acima
Lá se vai o canoeiro
Margeando a solidão

Pelos meandros do rio
Pelos meandros da alma
Segue viagem sem rumo

Rio abaixo, rio acima
Lá se vai o canoeiro
Margeando a imensidão

Remando contra o destino
Busca o sentido da vida
Perde o sentido de tudo

Rio abaixo, rio acima
Lá se vai o canoeiro
Margeando a escuridão

Ao cortar o espelho d' água
Perde-se em estilhaços
no tempo e no espaço

Rio abaixo, rio acima
Lá se foi...



(Ilustração: Edivaldo Barbosa - rede lotada de lambaris)


Nenhum comentário:

Postar um comentário