domingo, 20 de maio de 2012

A NOIVA, de Gonçalves Crespo








A noiva passa rindo
De rosas coroada,
Como um botão surgindo
Á luz da madrugada.



Na fronte imaculada
O véu lhe desce lindo,
E a brisa enamorada
Lhe furta um beijo infindo.



Ante o altar se inclina
A noiva, e purpurina
Murmura a medo: «Sim.»



Agora é noite ; a lua
No céu azul flutua,
E o noivo diz: «Enfim!»



(Ilustração: Lorenzo Lotto - venus and cupid)


Nenhum comentário:

Postar um comentário