segunda-feira, 14 de novembro de 2016

O MEU PEQUENO RIO, de João Barbosa







nenhum rio é como o meu, nem os grandes

rios de água. é de tempo, de enxurradas

de histórias, vidas vividas, encalhadas

nas memórias de pequeno,

o meu rio.



o meu rio? qual rio? simples ribeiro,

precária foz de riachos, inquietas nervuras

na folha verde do vale



o meu rio? destino de passagem

de águas de passagem – eram as calçadas inclinadas da aldeia,

as caminhadas, as corridas, os saltos, os recados,

era o pó que vivia do verão

era o movimento redondo das rodas

eram os passos e compassos dos animais

tudo lavado pelas águas que depois eram o meu rio.



o meu rio? águas passadas

que movem sempre os meus moinhos.




(memórias da terra, Abril de 2008)




(Ilustração: foto de Fátima Alves - Rio Grande e usina do Funil ao fundo)



Nenhum comentário:

Postar um comentário