sábado, 23 de abril de 2016

A MULHER E O REINO, de Ariano Suassuna







Oh! Romã do pomar, relva esmeralda
Olhos de ouro e azul, minha alazã
Ária em forma de sol, fruto de prata
Meu chão, meu anel, cor do amanhã

Oh! Meu sangue, meu sono e dor, coragem
Meu candeeiro aceso da miragem
Meu mito e meu poder, minha mulher

Dizem que tudo passa e o tempo duro
tudo esfarela
O sangue há de morrer

Mas quando a luz me diz que esse ouro puro
se acaba por finar e corromper
Meu sangue ferve contra a vã razão
E há de pulsar o amor na escuridão.




(Ilustração: Frederic Soulacroix - in the dressing room)



Nenhum comentário:

Postar um comentário